Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Idiomas
Início do conteúdo da página

Idiomas

Criado: Segunda, 27 de Agosto de 2018, 13h00 | Publicado: Segunda, 27 de Agosto de 2018, 13h00

Reestruturação do Ensino de Idiomas no Exército Brasileiro

O novo acesso a área do aluno do Curso de Idiomas Virtual (CIV) deverá ser efetuado no Portal de Educação do Exército Brasileiro

Acesse: www.portaldeeducacao.eb.mil.br


O Projeto de Reestruturação do Ensino de Idiomas no Exército remonta ao ano de 2012, quando da publicação da Portaria nº105-EME, de 5 Jul 12, a qual nomeava os Gerentes e as Equipes para a elaboração dos planejamentos dos projetos constantes do PEEx 2012-2015, a saber:
- Projeto 2.1.1C - Aumentar a capacitação em idioma estrangeiro (inglês, francês e espanhol);
- Projeto 18.1.2.B - Modernizar os laboratórios de idiomas existentes nos Estb Ens e no CEP/FDC e criar laboratórios onde ainda não existam; e
- Ação Transformadora III.08/40 - Estudar a implantação da Escola de Idiomas e Cultura Estrangeiros. 

A reestruturação do ensino de idiomas no Exército busca atender aos anseios da Força de ter em suas Armas, Quadros e Serviços, militares melhor qualificados para o desempenho de missões no exterior, de marcar a presença crescente do Exército Brasileiro em contextos internacionais e a participação cada vez mais relevante do Brasil no cenário mundial.

No âmbito do Departamento de Educação e Cultura do Exército (DECEx), a Diretoria de Educação Técnica Militar (DETMil) é a responsável pelo Projeto de Reestruturação do Ensino de Idiomas no Exército, conforme Diretriz do Chefe do DECEx e o Plano Estratégico do Exército (PEEx).

A título de informação, seguem, abaixo, alguns marcos do Projeto de Reestruturação do Ensino de Idiomas no Exército:

Agosto de 2014:
- Diretriz de Iniciação do Subprojeto assinada pelo Chefe do DECEx.

Dezembro de 2014:
- Apresentação do Estudo de Viabilidade do Subprojeto ao Sr Chefe do DECEx e ao Sr Dir Edc Tec Mil.

Março de 2015: 
- O Sr Chefe do DECEx emitiu decisões e estabeleceu ações para o Subprojeto:
- atualizar a Portaria do EME que trata do Sistema de Ensino de Idiomas e Certificação de Proficiência Linguística do Exército (SEICPLEx); 
- emitir Diretriz de Implantação do Subprojeto de Reestruturação do Ensino de Idiomas, assinada pelo Ch EME; e 
- implementar diversas ações concernentes aos subsistemas do SEICPLEx:
- Subsistema de Ensino a Distância de Idiomas (SEADI);
- Subsistema de Ensino Regular de Idiomas (SERI);
- Subsistema de Certificação de Proficiência Linguística (SCPL); e
- Subsistema de Ensino Intensivo de Idiomas (SEII).

Junho de 2015: 
- Criação do Sistema de Ensino de Idiomas e Certificação de Proficiência Linguística (SEICPLEx).
(Portaria nº133-EME, de 23 JUN 15, publicada no BE nº27, de 3 JUL 15)

Setembro de 2015: 
- Criação do Centro de Idiomas do Exército.
(Portaria nº1.351-Cmt EB, de 24 SET 15, publicada no BE nº39, de 25 SET 15)

Sistema de Ensino de Idiomas e Certificação de Proficiência Linguística do Exército Brasileiro (SEICPLEx)

Novo Sistema de Ensino de Idiomas e Certificação de Proficiência Linguística do Exército Brasileiro (SEICPLEx)
Portaria nº133-EME, de 23 JUN 15
(BE nº27, de 3 JUL 15)

O novo Sistema de Ensino de Idiomas e Certificação de Proficiência Linguística do Exército Brasileiro (SEICPLEx) tem, sobretudo, o objetivo de criar uma visão sistêmica para o ensino de idiomas. O SEICPLEx propiciará aos militares de carreira maior flexibilidade de aprendizagem e melhor aproveitamento de seu potencial linguístico. O ensino de idiomas por habilidades possibilitará a aquisição de conhecimentos e competências linguísticas específicas, favorecendo a aprendizagem regular e contínua, presencial ou a distância, de uma língua estrangeira. A valorização da certificação da proficiência linguística por habilidade linguística permitirá aumentar o universo de militares concorrentes a missões no exterior, assim como propiciará maior precisão na seleção. O SEICPLEx é gerenciado pelo Centro de Idiomas do Exército.

O SEICPLEx contempla quatro subsistemas: o Subsistema de Ensino Regular de Idiomas (SERI), o Subsistema de Educação a Distância de Idiomas (SEADI), o Subsistema de Ensino Intensivo de Idiomas (SEII) e o Subsistema de Certificação de Proficiência linguística (SCPL).
O SERI contempla o ensino dos idiomas espanhol e inglês nos Estabelecimentos de Ensino (Estb Ens) responsáveis pela formação e pelo aperfeiçoamento de oficiais e sargentos e pelo curso de altos estudos militares e o Curso de Português para Militares Estrangeiros (CPME), realizado pelo Centro de Idiomas do Exército.

O SEADI constitui o ensino a distância (EAD) de idiomas por meio de ambiente virtual de aprendizagem, podendo ser realizado pelo Centro de idiomas do Exército ou por Instituição de Ensino ou empresa(s) publica(s) ou privada(s), contratada(s) por meio de autorização do Departamento de Educação e Cultura do Exército (DECEx). Os idiomas a serem estudados na modalidade EAD são definidos pelo Estado-Maior do Exército (EME), ouvido o DECEx.

O SEII corresponde ao ensino de idiomas em um espaço curto de aprendizagem e voltado para uma necessidade específica. Compreende os Estágios Intensivos de Idiomas (EII), destinados a militares brasileiros designados para missões no exterior, e o Estágio de Idioma Português e Ambientação (EIPA), destinado a militares de Nações Amigas designados para missões no Brasil, ambos realizados no Centro de idiomas do Exército e, ainda, o Estágio de Preparação de Missão de Paz (EPMP), realizado pelo Centro de Idiomas do Exército e pelo Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil (CCOPAB).
O SAPL, caracterizado pelo Exame de Proficiência Linguística Oral (EPLO) e pelo Exame de Proficiência Linguística Escrita (EPLE), visa a certificar níveis de proficiência linguística, com base nos descritores da Escala de Proficiência Linguística (EPL) do Centro de Idiomas do Exército.

O EPLO avalia as habilidades de compreensão auditiva e expressão oral, separadamente. Constitui a Prova de Compreensão Auditiva e a Prova de Expressão Oral. O EPLO, Prova de Expressão Oral, pode ser realizado presencialmente, por meio de tecnologia de videoconferência, por telefone ou por outra ferramenta reconhecida pela Administração pública.

O EPLE avalia as habilidades de compreensão leitora e expressão escrita, separadamente. Constitui a Prova de Compreensão Leitora e a Prova de Expressão Escrita.

A elaboração das provas do EPLO e do EPLE é da responsabilidade do Centro de Idiomas do Exército. O processo de aplicação e correção das provas do EPLO e do EPLE pode ser gerenciado pelo Centro de idiomas do Exército ou por Instituição de Ensino ou empresa pública ou privada contratada, conforme orientação do DECEx.

As provas do EPLO e do EPLE são realizadas em dias distintos, por idioma, conforme calendário constante em portaria específica do DECEx.

As provas do EPLO e do EPLE visam a classificar o candidato em um nível de proficiência linguística correspondente ao seu desempenho, segundo apreciação da banca examinado. Ainda, as provas constituem avaliações independentes, possibilitando ao candidato optar por uma ou mais provas de cada exame. Os candidatos podem se apresentar para a realização das provas dos exames quando desejarem, com o objetivo de testar, ou aprimorar Índice de Proficiência Linguística (IPL) já certificado. O IPL não atestado ou insuficiente será sinalizado por um traço “-”

registrado em:
Fim do conteúdo da página